Publicidade
MidiaFlex
Publicidade
Programa de entrevistas amplia voz de movimentos populares em Dourados
Jornalista Ariadne Bianchi tem trabalhado para garantir espaço alternativo de comunicação na Rádio Javé


 



 



O programa de entrevistas comandado pela jornalista Ariadne Bianchi vem ampliando a voz de movimentos populares em Dourados e é uma opção democrática de comunicação. Os encontros são transmitidos pela rádio web jave.com e “ao vivo” pelo perfil pessoal no facebook.com/ariadnebianchi, toda segunda-feira, das 16h às 17h.





A jornalista defende o pluralismo das informações, a cidadania e, principalmente, atua em defesa dos direitos sociais. “É um desafio necessário termos esse espaço alternativo, onde podemos somar na luta pela democracia”, afirma.  Em seu programa, ela já recebeu representantes dos movimentos negro, das mulheres, LGBTs, além de sindicalistas. “É importante o trabalho de dar voz às bases”, enfatiza João Ravazine, do movimento pelo direito a pessoa com deficiência.



Ariadne é mestre em Comunicação na linha de pesquisa de Interações Sociais, na subárea de comunicação comunitária, popular e alternativa. Ela tem trabalhos acadêmicos voltados às minorias, a cidadania e a questão indígena. Além disso, também faz parte do Movimento de Mulheres, é Educadora Social e, atualmente, vice-presidenta do Sinjorgran (Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Região da Grande Dourados).



“É importante ir além dos muros (científico, técnico e profissional) para questionar qual é o papel ou a transformação social que queremos. E eu quero mudanças, inclusive, culturais e estruturais para o bem da sociedade, como relacionadas ao racismo, ao machismo e ao conservadorismo”, finaliza.



Para quem deseja participar do programa, pode enviar pautas de interesse público, logo coletivo, via e-mail da jornalista: ariadnebianchi@gmail.com.


Envie seu Comentário

Publicidade
Olho Magico
O ciclo de quedas tem como principal objetivo estimular a retomada da economia. Considerando que houve dois anos consecutivos de queda, percebemos que mesmo que o Produto Interno Bruto (PIB) tenha voltado a crescer em 2017, essa recuperação ainda é lenta.
Publicidade
Publicidade