Publicidade
MidiaFlex
Publicidade
Marçal cobra explicação sobre verba para cultura em Dourados
...


 



Cancelado há quatro meses, continua incerto o recurso para projetos culturais do Fundo de Investimentos à Produção Artística e Cultural de Dourados (FIP). A prefeitura ainda não se manifestou se retomará o programa. "Quem perde não são apenas os artistas locais, mas toda a população que deixa de ter acesso à cultura", diz o vereador Marçal Filho.



Os artistas tinham assegurados R$ 391.200 do FIP e que foram cancelados sob a justificativa de falta de recursos financeiros e orçamentários. De lá para cá a prefeitura não falou sobre o assunto.  Presidente da Comissão de Cultura na Câmara Municipal, Marçal tem cobrado uma posição da administração municipal.



"Precisamos de um posicionamento sobre como a prefeitura irá proceder a partir de agora e esperamos que as decisões sejam tomadas em conjunto com a classe artística", avalia o parlamentar.



Quando foi lançado o edital do FIP no final do ano passado, dezenas de artistas elaboraram projetos para concorrer aos R$ 391.200 de recursos, divididos por valores que beneficiavam seis projetos com R$ 25 mil, três no valor de R$ 20 mil, sete de R$ 15 mil, outros sete com R$ 10 mil e um projeto de R$ 6.200.



A cantora Fernanda Ebling pretendia gravar um CD neste ano. Ela foi uma das artistas aprovadas no projeto e ficou decepcionada com o cancelamento inesperado e de última hora. A escritora e advogada Odila Lange, do Fórum Permanente de Cultura, chegou a ocupar a tribuna da Câmara, na época, para criticar a desvalorização da cultura no município.



Os artistas aprovaram uma moção de repúdio contra a prefeita Délia Razuk. O vereador Marçal afirma que continuará cobrando a prefeitura um posicionamento e uma resposta sobre o FIP. O parlamentar entende que uma sociedade com mais acesso à cultura e à educação é mais instruída, desenvolvida, consequentemente, ocorrem menos problemas sociais.



Ainda de acordo com o vereador, os recursos disponibilizados pela prefeitura ao FIP é pouco para ser aplicado durante um ano inteiro, devendo ser ampliado para atender a uma gama maior de artistas, nas áreas de artes cênicas, artes plásticas, audiovisual, artesanato, folclore, literatura, dança, música.


Envie seu Comentário

Publicidade
Olho Magico
Poderia começar este artigo listando um bom número de companhias que eram líderes em seus segmentos de atuação, mas por não acompanharem as expectativas e mudanças da sociedade, simplesmente deixaram de existir. Afinal, de música e filmes, por exemplo, as pessoas sempre vão gostar.
Publicidade
Foto Materia
O Brasil passa por grandes problemas políticos, econômicos e sociais, como nunca se viu em toda sua história.
Publicidade