Publicidade
MidiaFlex
Publicidade
Sefaz esclarece sobre NFC-e em palestra na Aced nesta sexta-feira
...


 



 



A Aced (Associação Comercial e Empresarial de Dourados) em parceria com a Sefaz (Secretaria de Estado de Fazenda) realiza nesta sexta-feira (06), a palestra “Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica: A evolução do varejo”. No encontro, os responsáveis pela implantação do novo sistema em Mato Grosso do Sul vão se reunir para explicar sobre a nota e esclarecer as dúvidas de empresários e contabilistas.



 



A palestra será ministrada pelo auditor fiscal da Receita Estadual, Edson Massacazu Ochigame; fiscal tributário estadual, Adriana Casarin e chefe da Agenfa Regional de Dourados, Everson Leite Cordeiro. O objetivo é esclarecer aos comerciantes sobre as adaptações necessárias para o uso da nota, como vai promover a redução de custos e trazer mais agilidade aos procedimentos.



 



“A NFC-e tem a vantagem do empresário gerenciar os produtos em tempo real. Ele consegue ver o que saiu, a qualquer momento, diferente do controle manual feito com Nota Fiscal de Venda ao Consumidor como é hoje em dia”, afirma o chefe da Afenfa Regional de Dourados. Ele esclarece que para fazer a adaptação, o empresário terá que adquirir um programa emissor de NFC-e, ter o Certificado Digital do CNPJ e fazer o credenciamento no site da Sefaz.



 



A NFC-e substituirá o Cupom Fiscal e a Nota Fiscal de Venda ao Consumidor, e a impressão pode ser feita em qualquer impressora até mesmo na máquina de ECF (Emissor de Cupom Fiscal) com esse sistema devidamente encerrado. A NFC-e vem ainda com um QR Code, código de barras em 2D que pode ser lido por aplicativos de celulares, ou seja, a informação estará disponível em diversas plataformas digitais a disposição do consumidor e empresário.



 



O cronograma para implantação da adaptação obrigatória segue até março de 2019. Primeiro foram as empresas com receita bruta anual acima de R$ 6 milhões de reais, depois as com receita acima de R$ 1,8 milhão e em 1º de março desse ano tiveram que se adaptar todos os comércios com rendimento de R$ 600 mil ao ano.



 



O próximo prazo vence em 1º de setembro de 2018, quando são obrigados à mudança todos os estabelecimentos com receita bruta entre R$ 180 mil e R$ 600 mil. Enquanto os comércios com receita bruta anual entre R$ 81 mil e R$ 180 mil têm até 1º de março de 2019 para se regularizarem.



 



 A palestra é aberta ao público e será às 09h no auditório da Aced (Rua João Rosa Góes, nº 355). Mais informações no telefone (67) 3416-8653 ou WhatsApp (67) 9 8402-6658.


Envie seu Comentário

Publicidade
Olho Magico
Com tantos candidatos, há a tendência de os eleitores — porque a mídia eletrônica, rádio e TV, priorizam as candidaturas majoritárias, de presidente, governadores e senadores — desprezarem o pleito proporcional, aquele que elege os deputados, federais e estaduais.
Publicidade
Foto Materia
O Brasil passa por grandes problemas políticos, econômicos e sociais, como nunca se viu em toda sua história.
Publicidade