Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Cientista desvenda se shampoos antiqueda realmente funcionam ou não

Especialista em Cosmetologia Avançada, Jackeline Alecrim desvenda se produtos conseguem combater calvície e queda capilar, condições que são clinicamente diferentes

Os shampoos comuns tem apenas uma finalidade: higienizar o couro cabelo. Porém, há aqueles que tratam não apenas da higiene, mas da saúde. São os chamados dermocosméticos, produtos clinicamente testados que podem trazer resultados efetivos para a alopécia androgenética ou calvície — condição dermatológica que atinge homens e mulheres.

Conforme dados da Sociedade Brasileira do Cabelo (SBC), apenas em 2018, o número de pessoas atingidas pela calvície alcançou 42 milhões. Apesar do senso comum, não foram apenas pessoas mais velhas que foram acometidas pela condição, jovens com idades entre 20 e 25 anos representam 25% dos dados relacionados à queda, geralmente estimulada por problemas emocionais e genéticos.

A cientista especializada em Cosmetologia Avançada Jackeline Alecrim explica que a alopecia se caracteriza pela perda de cabelos, mas não necessariamente apenas quando há queda. Há casos onde ocorre o afinamento do fio, portanto, tratar o folículo capilar pode ter resultados rápidos e visíveis.

Segundo a professora universitária e expert em desenvolvimento de produtos a partir de ingredientes naturais, há fórmulas de uso tópico capazes de melhorar fisiologicamente o funcionamento dos folículos pilosos, inibindo a queda e estimulando o surgimento de novos fios, além de melhorar a qualidade dos fios de pacientes que apresentam condições como a alopecia androgenética

“Estudos demonstram que ativos veiculados através de shampoos cientificamente desenvolvidos e englobados na classe de dermocosméticos apresentaram efeitos benéficos em pacientes acometidos por esta condição. Essa possibilidade representa um avanço importante no tratamento, já que aumenta o leque de opções de coadjuvantes para combater a queda de cabelo”, afirma a pesquisadora.

 Mas como o shampoo age sob a queda de cabelo?

Em suas pesquisas, Jackeline Alecrim desenvolve estudos sobre ativos naturalmente presentes no extrato biotecnológico do café e sobre a cafeína, molécula que apresenta alta bioafinidade pela via folicular e que penetra facilmente nos folículos pilosos tendo a capacidade de inibir substâncias como a diidrotestosterona (DHT) diretamente envolvida em quadros de calvície masculina e feminina.

Um dos motivos seria o fato do couro cabeludo ser muito receptivo às substâncias e apresentar alta capacidade de absorção, já que cada fio está conectado diretamente à estrutura do folículo piloso.

De acordo com Jackeline, o tratamento via folicular, no couro cabeludo, é considerado muito efetivo na disponibilização dos ativos caso as substâncias estejam em um tamanho molecular correto e sejam veiculadas através de shampoos específicos e aplicadas no couro cabeludo área que precisa ser tratada para a efetividade do tratamento — a aplicação no comprimento dos fios não alcança efetividade, já que está região não apresenta atividade fisiológica.

A cientista explica que há uma regra básica para absorção de ativos por via tópica: quanto mais fios em uma região, maior é a capacidade de absorção de ativos. Assim, ela destaca que o couro cabeludo pode ser considerado a via externa com a maior capacidade de absorção, já que cada fio de cabelo está fixado em uma abertura, o poro, com comunicação direta para o interior dos folículos pilosos. “Um fator extremamente positivo para o manejo e tratamento da alopécia, já que a disponibilidade dos ativos pela via folicular é extremamente importante para o tratamento”, explica.

A pesquisadora explica que estes produtos são especialmente desenvolvidos para funcionarem como carregadores de substâncias e têm uma formulação capaz de romper facilmente as barreiras do sebo depositado sobre o couro cabeludo, devido à presença de tensoativos específicos. Isso favorece a absorção destas moléculas, o que aumenta a eficiência do tratamento.

“A forma correta ao aplicá-lo é massageando o couro cabeludo, isso favorece a microcirculação sanguínea local, o que ajuda ainda mais a chegada dos ativos até o seu alvo terapêutico”, detalha. Movimentos circulares leves com duração de dois minutos já são suficientes para absorver os nutrientes.

E os tônicos?

Os tônicos capilares não entram nesta explicação segundo a cientista. Além de terem dificuldade para romper as barreiras formadas pelo sebo, nem sempre são bem espalhados pelo couro cabeludo, além de conter substâncias como álcool, que resseca os fios e é vasoconstritor, o que dificulta a absorção. Portanto, é crucial prestar atenção na fórmula.

Scroll Up